Família de Daniella Perez 

precisou defender a honra da atriz 

 Em entrevista, viúvo de Daniella Perez relembra detalhes das investigações sobre a morte

A HONRA

Raul Gazolla, ator brasileiro que ficou viúvo de Daniella Perez após o crime cometido contra ela em 1992, relembra em entrevista que, à época da morte da esposa, ainda foi necessário comprovar a inocência da atriz. 

Série documental

O ator, além de outras pessoas próximas, dão mais detalhes sobre o caso na nova série documental da HBO 'Pacto brutal: O assassinato de Daniella Perez'. Em entrevista ao jornal O Globo, o ator comenta sobre o absurdo de ter que comprovar a inocência da então esposa.

Defender a honra

“Me impressiona muito termos que provar a inocência de uma pessoa assassinada com 18 facadas. Tivemos que defender a honra da Dany e provar que ela não tinha tido nada com o assassino", disse Raul Gazolla em entrevista ao O Globo.

 O assassinato

Em 1992, a jovem atriz, que tinha somente 22 anos, foi assassinada pelo então ator Guilherme de Pádua — que contracenava com ela na novela 'De Corpo e Alma', escrita por Glória Perez, mãe da vítima — ao lado de sua esposa Paula Thomaz. 

Investigações

Nas investigações, Glória Perez principalmente procurou provar a inocência da filha. Isso foi necessário porque algumas especulações acusavam a atriz de assédio contra Guilherme de Pádua nos bastidores da novela em que trabalhavam juntos.

TEXTO: Redação
REVISÃO: Redação
EDIÇÃO: MARCOS SOUZA
SUPERVISÃO: VITOR BALCIUNAS 
Créditos: Arquivo pessoal e hbo max