“epidemia de dentes
explosivos”

Há 200 anos, condado passou por

Dor era tão forte que fez reverendo perder a sanidade e
 Vítima ficar surda “por um tempo considerável”

Epidemia de dentes explosivos

Durante quase quatro décadas nos anos 1800, no condado de
Mercer, na Pensilvânia, o dentista W. H. Atkinson relatou a
história de pacientes que sofreram com a chamada
 "epidemia de dentes explosivos"

Os relatos

A 1ª vítima foi um reverendo que, repentinamente, começou a
sentir uma dor de dente excruciante. À procura, em vão, de
alguma forma de alívio, ele enterrou a cabeça no chão como
um animal enraivecido e também enfiou o crânio inteiro
debaixo da água fria

Alívio imediato

Tudo, todavia, se provou inútil, até a manhã seguinte,
enquanto ele rastejava perdido em extremo delírio, ouviu-se
um só estouro em alto e bom som, como um disparo de uma
pistola, que rompeu seu dente em fragmentos, concedendo-lhe
um alívio imediato

Mais vítimas

No entanto, ele não foi o único atingido pela tal pandemia do
dente explosivo. Outros dois casos foram registrados por
Atkinson em quase 40 anos. Posteriormente, em 1874, o
 Dr. J. Phelps Hibler também relatou casos semelhantes em
um livro especializado

Explicação

Ao longo do tempo, diversos especialistas tentaram entender
 O que causou a “pandemia dos dentes explosivos”,
inclusive Atkinson e Hibler, mas nenhum deles chegou a
 Uma conclusão plausível

TEXTO: Fabio Previdelli
REVISÃO: FABIO PREVIDELLI 
EDIÇÃO: CAROLINE DUARTE
SUPERVISÃO: VITOR BALCIUNAS 
FOTOS:: Pixabay/Wikimedia Commons